25 de set de 2011

A vida passa

           
          Todos tentamos entender o sentido de nossas vidas, tentamos fazer algo que seja lembrado, algo que demonstre quão bom somos como pessoa, e nos esquecemos de quem realmente somos, do que realmente fazemos quando estamos sendo nós mesmos, muitos de nós são gananciosos e a ganancia que muitas vezes chamamos de luta por uma vida melhor nunca termina, sempre queremos mais, nunca, por melhor que estejam nossas vidas, temos uma vida boa o bastante, porque somos assim?
          Porque sempre tentamos ver o que existe de bom em nós e nos esquecemos do que há de ruim, e porque insistimos em ver sempre o que ha de errado com os outros e nunca paramos para reconhecer o que existe de bom? A vida é muito curta e insignificante para que a tornemos mais mediócre ainda, é preciso saber apreciar cada segundo pois eles serão únicos, agora eu pergunto: Porque sempre reconhecemos um bom momento depois de um tempo que ele aconteceu? Por que nunca nos damos conta do quanto os momentos que vivemos são especiais enquanto os estamos vivenciando, mas ao invés disso sempre deixamos para viver a parte boa de nossas vidas, quando a parte boa já acabou, vivemos eles apenas quando são lembranças e não vivemos o momento no momento... porque?
          Sonhe, mas não deixe de viver a realidade esperando seus sonhos se tornarem reais, pois a vida pode passar e no final você pode não ter realizado seus sonhos e nem ao menos ter uma história pra contar...

18 de set de 2011

A arte de recomeçar

          
        Nos últimos dias tenho pensado muito a respeito do post anterior (se você não leu pode conferi-lo aqui), pois la através de algumas palavras tentei expressar o que eu estava sentindo motivado pela tristeza e frustração de perder para sempre alguém que eu amei, mas nesse post quero corrigir todas as coisas que disse motivado pelo sentimento errado. 
         Talvez realmente amar seja dolorido e facas atravessem nossos corações diariamente e por conta disso temos construído verdadeiras fortalezas em volta de nossos corações, mas e quando finalmente encontramos a pessoa certa? Será que conseguiremos deixar ela atravessar os muros que há em volta de nós? Essas fortalezas que aparentemente nos deixam seguros impedindo que o sofrimento entre, são as mesmas que as vezes não permitem que a felicidade invada nosso ser e mude tudo em nós, e tudo isso acontece por que temos medo da dor e doer é uma coisa que faz parte da vida a questão não é a dor em si, mas como as pessoas reagem frente a ela, algumas pessoas preferem ficar chorando esperando um milagre acontecer, outras simplesmente preferem viver fingindo que não dói e que nada aconteceu, e umas poucas preferem encarar a dor de frente dando a si a oportunidade de serem felizes, de sonhar outra vez com um amor que aparentemente só existe nos filmes, mas que pode se tornar real, não para quem acredita, mas para quem corre atrás sem medo, agora pergunto: Será que ficar chorando esperando um milagre ou fingir que não dói é melhor do que encarar as coisas de frente? Talvez as barreiras que colocamos em nossos corações sejam o motivo de nosso sofrimento, porque com elas não enxergamos o mundo lá fora e o pior, não deixamos que o mundo la fora nos veja. O amor dói muitas vezes, mas com certeza uma vida sem amor dói muito mais e não é só isso, sofremos muito mais em uma vida em que temos tanto medo de sofrer de novo que fechamos os nossos olhos para ver que a dor é muito maior quando nos escondendo num casulo do que quando nos abrimos para a vida e tentamos recomeçar, por isso viva intensamente sem medo de ser feliz, sem medo de amar de novo e se você já tem o seu amor, aproveite-o em cada segundo de sua vida e seja feliz, pois ser feliz é uma dádiva que poucos tem encontrado.
       
         
              

10 de set de 2011

Amor, uma droga que pode te matar!

         
           Ah o amor, aquilo que todo ser humano por pior que seja carece diariamente, seja esse amor materno, paterno, fraterno, amizade e o mais procurado de todos aquele que pode ser simplesmente chamado de... amor e mais nada, mas porque estou falando sobre isso? Muito simples, eu na minha mais absoluta clareza mental (ou não) queria dizer que eu não quero mais saber disso, pois nada nesse mundo machuca tanto quanto esse tal de amor, dia após dia tenho sentido uma faca atravessando o meu coração por causa de algo (ou alguém) que aconteceu a anos atrás e isso me fez pensar que amar ao contrario do que ouvi minha vida toda, não é uma coisa tão boa assim, as pessoas te decepcionam, te machucam e não se importam com isso, contudo, por mais que eu queira acreditar que agora tudo será diferente, que meu coração não se despedaçará novamente e que tudo o que for posterior a esse instante não vai me afetar, no fundo do meu ser eu sei que é impossível descartar o amor como se fosse um papel de bala no seu bolso e que por mais indiferente que eu seja, minha essência que é a essência de todo ser humano jamais me permitira esquecer desse sentimento, simplesmente porque somos constituídos dele, viemos direto da fabrica assim (apesar de algumas pessoas virem com defeito de fabricação) e talvez sim em algum momento eu encontre uma exceção a tudo isso, alguém que apenas com um olhar faça todas as minhas defesas desabarem e me faça querer sonhar outra vez, sei que isso é bem difícil de acontecer, afinal de contas esse tipo de coisa só acontece no cinema e no fantástico mundo de Bob, mas acho que isso é tudo o que (nós solteiros) temos, a esperança de que essa pessoa exista em algum lugar, que sim ela será uma exceção, que irá mudar tudo em nós e que nós mudaremos tudo nela, entretanto, enquanto tal coisa não se realiza tentarei diariamente aplicar anestesia para que não venha a doer novamente o meu coração...

7 de set de 2011

Adele -"Someone Like You"

Hoje decidi postar um vídeo de uma cantora que hoje é sem duvida uma das mais talentosas do nosso amado planeta. Adele em uma de suas mais memoráveis apresentações "Someone Like You", musica essa que me lembra muito da minha infeliz e aparentemente permanente história de amor...